É possivel controlar o stress?

“É impossível eliminar o stress de nossas vidas: ele existe em todos. Podemos, porém, evitar que se torne excessivo através de algumas medidas que incluem uma mudança na nossa atitude perante os eventos corriqueiros e inesperados da vida, um regime alimentar anti-stress exercícios físicos e de relaxamento.”

Marilda Lipp – http://www.estresse.com.br

Neste blog, e nas outras plataformas que utilizamos, damos diversas sugestões que ajudam no controle do stress, para que não se torna excessivo ou crônico. De alguma forma  todas as práticas que sugerimos serão de grande utilidade neste sentido, mas, a mais eficaz, sem duvida é a meditação. Ela nos treina para nos mantermos focados, seremos, concentrados, e isto é vacina contra o stress. Se somos meditadores habituais desenvolvemos também a persistência e a disciplina, muito uteis neste caso também. Sem contar que ela provoca a redução do metabolismo, desacelerando o corpo, alem de aumentar a concentração de neurotransmissores, aumentando a sensação de prazer e tem ação direta na redução dos hormônios ligados ao stress.

Hoje em dia temos embasamento cientifico para fazer uma lista gigante de benefícios, pois a nunca se estudou tanto sobre este assunto, o que tem gerado grande volume de publicações de artigos e teses.

Portanto recomendo, vamos meditar e viver melhor.

Namaste!

 

Preconceito é ruim?

Fiz esta pergunta para meu filho e ele respondeu que sim, com uma cara de espanto, já que conhece minha posição sobre várias questões ditas preconceituosas.

Então fomos juntos desenvolvendo um raciocínio interessante que quero compartilhar com vocês agora.

Nossas idéias, atitudes, motivações são em sua maioria preconceituosas, quando não impulsivas, visto partem de conceitos que já formamos ou adquirimos em nossa educação ou convivência social.

Não conseguiríamos viver sem eles. Precisamos para agilizar as coisas, ganhar tempo, ser produtivo e eficiente.

Mas, é claro, devemos estar continuamente abertos para atualizar estes conteúdos, lhe dar frescor, maturidade.

Negativos e prejudiciais são os preconceitos que oprimem, agridem e rebaixam os outros.
Nas práticas de autoconhecimento, físicas, e vivenciais enfrentamos os chamados preconceitos autolimitantes, como por exemplo:
  • nunca vou conseguir meditar;
  • já tentei muitas vezes relaxar e sou muito agitado para isso;
  • yoga, sim, eu sei como é, sentamos e Ommm…;
  • yoga não é para mim, minha flexibilidade é muito ruim;
  • gostaria de praticar, mas não tenho tempo;

Então, preconceitos são necessários, mas perigosos quando nos acomodamos ou no fechamos. Importantes estarmos abertos para a mudança e a evolução, nossa e do universo ao nosso redor.

Namaste!

 

Homem de fases

Homem de fases

 

Chegando aos meus 34 anos, me deparei com um final de ciclo, uma necessidade de mudança, uma ruptura que precisava ser posta em prática.

Nos 10 anos anteriores tinha me abandonado, gradativa e inconscientemente. Assumindo papel de pai, empresário, e demais papéis que se esperam de um homem adulto. Trabalhando muito, dormindo pouco, comendo mal e irregularmente e bebendo, muitas vezes demais.

Consegui construir um corpo em desespero. Sedentário e acima do meu peso ideal. Com crises de enxaqueca e dores imobilizantes nas costas.

O fato que me fez mudar o rumo da prosa foi uma contratura na região lombar que me impedia de caminhar, dirigir, enfim, ter uma vida normal.

Recorri a uma grande amiga, especialista em terapias ayurvedas, que depois de algumas semanas de tratamento arrumou minhas costas e ainda me ajudou a perceber que precisava dar mais atenção para meu corpo, minhas emoções e o equilíbrio entre todos os aspectos da vida. Além disso, me convidou para fazer com ela um curso de yoga, me mostrou o folheto, imersões de 1 final de semana por mês, por 2 anos. Pensei, será? Mas fui.

Grande atitude a minha. A yoga me trouxe a descoberta do corpo, da respiração, da meditação e da capacidade de viver melhor, com mais saúde e disposição. Comecei a trilhar um caminho mais saudável, que me trouxe novos aprendizados e grandes descobertas pessoais. Formei-me professor de yoga. Fiz minha graduação e pós-graduação acadêmica, por tanto tempo adiada. Comecei a correr, e já corri provas de distâncias variadas, 10, 20 e as famosas maratonas de 42 km. Corri ultra maratonas, provas acima de 50k e outras de aventuras, em condições de dificuldade aumentada. Muito divertidas, mas impossíveis há pouco tempo antes.

Neste processo, costumava dizer a mim mesmo que chegaria melhor aos 40 do que tinha chegado aos 30 anos, e consegui. Então lancei o desafio de chegar aos 50, que completo ano que vem, melhor que aos 40. Ficou mais difícil, o parâmetro subiu, mas acredito que vou conseguir. Mas agora já decidi, a meta para os 60 é estar tão bem quanto os 50. Já ta bom!

Vivo outra fase agora, a de dividir meu aprendizado com as outras pessoas. Através de aulas, cursos, workshops e conteúdos que publico diariamente no facebook, blog, youtube. Estou mudando de carreira profissional, para uma que me de mais prazer, alegria e uma percepção de importância na vida das pessoas.

 

Seguindo aquele entendimento antigo, que a felicidade está no caminho e não na chegada, busco qualificar meu dia de hoje, meu agora, a experiência de viver e as pessoas que me cercam.

 

Namaste!

(Meu ser divino interior te reconhece e te saúda como igual)